sábado , 19 agosto 2017
Página principal / Notícias / Fala Morador / Estacionamento Rotativo em Jardim da Penha?

Estacionamento Rotativo em Jardim da Penha?

O sistema de estacionamento rotativo, que funciona em Vitória desde novembro de 2014, completou um ano e a tendência é que em 2016 ocorra a ampliação e implantação em outros bairros da Grande Vitória.

Os parquímetros há algum tempo já funcionam no Centro, na Praia do Canto, em Santa Lúcia e no mês passado chegou à Vila Rubim. O próximo bairro contemplado será Bento Ferreira e existe a real possibilidade de eles serem instalados também em Jardim da Penha.

Apesar da sua expansão na Grande Vitória, entre os moradores, o rotativo gera discussões e relatos contrários e favoráveis a sua implantação em seus bairros. Entre as opiniões, muitos acham que isso “é uma máquina de roubar dinheiro” ou seria uma alternativa para inibir a ação dos flanelinhas que mandam nas ruas da capital.

A equipe do Jardim da Penha Online pediu a opinião dos moradores do bairro sobre este assunto, através do “Fala Morador”, para saber se são contra ou a favor a futura instalação desse sistema.

Entre os que foram contra ao rotativo, muitos alegam que não há necessidade em implantar um sistema desse em um bairro residencial como Jardim da Penha e seria uma forma da prefeitura arrancar dinheiro da população. “Contra, já pagamos um IPTU e um IPVA muito caros, acredito ainda que é dever do Estado nos livrar do incômodo dos flanelinhas, que loteiam as ruas. Temos direito a ir e vir com segurança, creio que isso não é pedir muito”, relatou a moradora Naylian Tompson.

Já a moradora Surya Jordana Glauquinho faz um paralelo com o que os parquímetros trouxeram para a Praia do Canto e o que poderia acontecer caso o rotativo seja implantado no bairro. “Os parquímetros são péssimo para a economia, basta repararem que as lojas da Praia do Canto estão as moscas. Lojas e lojas já fecharam as portas, por esse e mais outros motivos. Se colocar aqui no bairro quem vai sofrer são os lojistas que já não estão vendendo bem e tem que pagar o aluguel dos imóveis que aqui estão caríssimos. Não vale a pena. O bairro vai morrer financeiramente”, relata.

Nem todos os moradores foram contra. Alguns acham positivo a instalação do sistema, pois vai movimentar as vagas e acabar com a dificuldade em estacionar no bairro. “Totalmente a favor! Para acabar com o “monopólio ” das vagas por alguns. Uma dificuldade conseguir estacionar, por exemplo, nas mediações da Praça do Epa. Mas que o arrecadado seja investido no bairro”, diz a moradora Alcionis Ennes.

“A favor! Principalmente em pontos de lojas e restaurantes, pois isso estimula o comércio. Próximo ao Habibs, Praça do Epa e Rua da Lama são exemplos. E outra, algumas pessoas se acham donas da rua, querem parar o carro às 7h e só saem à noite. Isso está errado, o espaço é público e todos têm direito de usá-lo”, relata o morador Juliano Feitosa.

Posicionamento da Prefeitura

Entramos em contato com a Prefeitura de Vitória e fomos informados pela Secretaria de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória (Setran) de que não há previsão de estudos para a implantação de parquímetros em Jardim da Penha.

Dúvidas dos moradores sobre o rotativo

Entre os comentários feitos pelos moradores, vieram também muitas dúvidas sobre o funcionamento dos parquímetros. Confira e saiba mais sobre o sistema de estacionamento rotativo.

1. Afinal, quais benefícios que o parquímetro traria para o bairro?
De acordo com a prefeitura de Vitória, o objetivo do sistema rotativo é garantir o rodízio de vagas ocupadas nas ruas, o que beneficia principalmente o acesso ao comércio local, uma vez que os próprios moradores dos bairros constataram muitos casos de vagas que eram ocupadas o dia todo pelo mesmo carro. O estacionamento rotativo com parquímetros permite que uma variedade maior de pessoas tenha acesso às vagas, facilitando o acesso ao espaço público.

2. O que é feito com o dinheiro arrecadado pelo parquímetro?
Segundo a Secretaria municipal de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana (Setran), em quase um ano após sua implantação na capital capixaba, o sistema de parquímetros já arrecadou mais de R$ 720 mil nas 2.999 vagas disponíveis em Vitória.

Metade do valor arrecadado está sendo revertido em melhorias na sinalização de trânsito nos bairros onde as vagas rotativas foram instaladas e os outros 50% nas demais regiões da cidade. “Mais do que uma forma de arrecadar verba em prol do próprio tráfego, o estacionamento rotativo é uma forma de democratizar o espaço público”, frisou o secretário Josivaldo Andrade.

3. Quais são os critérios para escolher os locais em que receberão o rotativo?
De acordo com o subsecretário de Trânsito, Fernando Repinaldo, os critérios utilizados para a escolha dos locais são justamente a dificuldade de vagas, que acarreta o fluxo de carros e engarrafamento nos locais. “Além disso avaliamos a situação do comércio e as demandas de serviços da região”, conta.

4. Caso queira estacionar e não efetuar o pagamento do rotativo, qual será a punição?
O motorista que estacionar próximo ao parquímetro e não efetuar o pagamento do estacionamento rotativo, ou permanecer além do tempo solicitado, estará sujeito à multa por estacionar em desacordo com a sinalização, podendo ter seu veículo guinchado, segundo o artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro. Em quase um ano de funcionamento, 2.697 motoristas infringiram as regras do parquímetro.

5. Como funciona os parquímetros?
parquimetro

Após estacionar o veículo, o condutor deve procurar um dos parquímetros existentes na rua escolhida e decidir a forma de pagamento: cartão recarregável ou moedas.

Pagamento com cartão:
• Ao pagar o estacionamento rotativo em cartão (que deve ser adquirido com os monitores), o motorista deve inserir no local indicado e digitar a placa do carro no painel com letras e números.
• Após informar a placa, o usuário deve apertar o botão “Confirma” duas vezes.
• Apertando o botão “Tempo”, o motorista informa até quanto permanecerá na vaga. À medida que o usuário aumentar o tempo clicando nesse botão, os valores para permanecer na vaga também aumentam proporcionalmente. Os valores cobrados variam de acordo com o tempo de permanência: R$ 1,00 na primeira meia hora, R$ 1,50 para uma hora completa, R$ 2,00 para duas horas e R$ 3,00 pelo período de três horas.
• Após confirmar o tempo de permanência na vaga, o parquímetro emite o tíquete, que deve ser colocado em local visível do carro, como o painel.
• Em seguida, o parquímetro oferece ao o usuário um recibo da utilização do estacionamento rotativo.

Pagamento com moedas:
• Caso o condutor prefira pagar em moedas, ele deve primeiro apertar o botão “Tempo” para digitar a placa do carro no painel e confirmá-la duas vezes.
• Em seguida, o usuário escolhe o período que ficará na vaga através do botão “Tempo”.
• O motorista deve inserir as moedas no local indicado, o valor informado no painel e confirmar.
• O parquímetro então emite o tíquete, que deve ser colocado em local visível do carro.

6. Qual é o tempo máximo de permanência na vaga?
O tempo máximo de permanência é de 3 horas. Após esse período na mesma vaga, o motorista deve procurar outro local para estacionar e solicitar novo tempo de permanência. O parquímetro onde ele já fez o pagamento para a placa de carro que está usando não aceita renovação além das 3 horas.
Além disso, o tempo não está ligado a uma única vaga, ou seja, o motorista que quiser sair da vaga paga pode estacionar em outro local sem pagar novamente, desde que ele esteja dentro do prazo já adquirido.

7. Qual o horário de funcionamento dos parquímetros? Funcionam 24h por dia?
O sistema rotativo funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h; e das 8h às 14h, aos sábados. Fora desses horários e aos domingos e feriados, o estacionamento não será cobrado.
Em alguns bairros o horário é diferenciado, como na Praia do Canto e em Santa Lúcia em que é das 9h às 19h, de segunda a sexta, e das 9h às 15h, aos sábados. No Centro, os equipamentos começam a operar às 7h com os usuários podendo antecipar os pagamentos do estacionamento rotativo, que só começará a contabilizar o tempo a partir das 8h.

8. Como funciona para os moradores que em sua residência não possui vaga de garagem?
Os moradores do bairro que não contam com vaga de estacionamento em sua residência têm isenção do pagamento pelo uso das vagas do rotativo. Cada endereço tem direito a apenas uma isenção. Para mais informações, basta procurar a Coordenação de Estacionamento Rotativo da Secretaria Municipal de Transportes, no Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac). O telefone de contato é 3382-6448.

O sistema de estacionamento rotativo, que funciona em Vitória desde novembro de 2014, completou um ano e a tendência é que em 2016 ocorra a ampliação e implantação em outros bairros da Grande Vitória. Os parquímetros há algum tempo já funcionam no Centro, na Praia do Canto, em Santa Lúcia…

Avaliação Total: 5 ( 1 votos)

Veja Também

i4zago3cztbobw45hzw5rmiz2043323

Pastor retira boneca afro em creche de Vitória e diz ser ‘símbolo de macumba’

O pastor João Brito, da Igreja Evangélica Batista de Vitória, pediu que um painel feito ...

Um comentário

  1. Paquímetros em jardim da penha é um afronto aos moradores daqui. Não somos um bairro comercial, mas sim residencial. O fluxo de JP basicamente é de moradores daqui no bairro. Não há dificuldades para estacionar. Temos uma praça (praça do supermercado EpaA) que concentra o comércio do bairro, e na outra extremidade temos a rua da lama, não somos um bairro comercial, repito. Administração, estamos bem OK??? Por favor não nos cause problemas, não queira nos impor algo q não queremos, tenha respeito pelos moradores q aqui residem. Somos organizados, e mostraremos nossa força se for necessário. Estamos vivendo atualmente sobre a égide de uma falsa democracia, em que o poder da caneta impera sorrateiramente. Repito, Administração respeite a vontade dos moradores de Jardim da Penha. Não nos imponham aquilo q não queremos e que muito menos precisamos.