segunda-feira , 11 dezembro 2017
Página principal / Notícias / Entretenimento / Marchinha do Bloco Bleque critica pó preto

Marchinha do Bloco Bleque critica pó preto

O dia nasce, acontece, vai embora. Fica o pó de minério. Eu cheiro pó, eu cheiro pó de minério […]

É assim que se costura a letra da música “Pode Minério”,  do músico Gustavo Macacko e do grupo do Bloco Bleque. Para resgatar o tom de protesto das marchinhas de carnaval, mas sem perder o tom de brincadeira e folia da época, a música, que deve tocar nos bloquinhos puxados pela banda no carnaval desse ano, teve como ideia levantar a reflexão do chamado “paradoxo entre a economia e a saúde”.

Na letra constam críticas em tom de ironia que recriminam a Vale, responsável por lançar pó de minério sobre a Grande Vitória, como no trecho: “Quanto Vale nossa respiração fugindo do Tubarão?”. O clipe é formado por imagens que fazem alusão às folias de carnaval e mesclam paisagens de Vitória com a poluição de empresas. Veja o clipe abaixo:

O compositor Gustavo Macacko, que fez a música em parceria com Lara Laiber, Flor Fusi e Eliezer Neto, diz que a inspiração aconteceu durante uma crise de rinite em Vitória.

“Nosso Estado é economicamente dependente dessas grandes empresas, e isso faz com que a opinião publica também seja comprometida. Como você vai gritar contra um troço que você depende? Então eu, como artista, identifiquei essa missão, refletir até que ponto vale a pena se dispor a isso”, explica Macacko.

O cantor garante também que a música não tem a intenção de ser uma crítica vazia, e sim de cobrar mais atenção. “É o nosso momento de fazer pressão. A gente quer que a coisa ande no sentido de todos tomarmos atitudes cabíveis para que a saúde seja preservada”, diz.

Bloco Bleque 

O Bloco Bleque tem formação em 2007 e foi criado no intuito de reunir artista de diversas vertentes musicais, como Gustavo Macacko, que continua em atividade no grupo e Alexandre Lima, afastado devido a problemas de saúde, entre outros. O formato do grupo é quase feito mesmo para o carnaval, em monobloco, numa mistura de reggae, samba, rock e com a força de uma bateria de escola de samba – por isso mesmo a participação intensa no carnaval de Vitória há quatro anos, especificamente nos desfile da Rua da Lama.

Ao som da marchinha, o Bloco Bleque vai arrastar os foliões na sexta-feira (5), na Rua da Lama, em Vitória, no sábado (6), no Centro de Vitória, no domingo (7), na Barra do Jucu, em Vila Velha, e na terça-feira (9), no balneário de Regência, em Linhares.

Fonte: GazetaOnline e Século Diário com alterações.

Veja Também

i4zago3cztbobw45hzw5rmiz2043323

Pastor retira boneca afro em creche de Vitória e diz ser ‘símbolo de macumba’

O pastor João Brito, da Igreja Evangélica Batista de Vitória, pediu que um painel feito ...