segunda-feira , 11 dezembro 2017
Página principal / Notícias / Febre amarela: População deve evitar áreas de floresta, alerta secretário de Saúde

Febre amarela: População deve evitar áreas de floresta, alerta secretário de Saúde

O Espírito Santo não está classificado como área de risco de transmissão da febre amarela, mas o secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, afirmou que a população deve evitar entrar em áreas de floresta no Estado.

“Nenhum local do Espírito Santo precisa ser vacinado, o ideal é que as pessoas evitem entrar em floresta. Em qualquer lugar, mesmo que seja no Estado. Na dúvida, melhor não ir. Se a pessoa for para a área urbana, não tem nenhum problema, porque quem transmite é o mosquito Aedes aegypti e ele não está contaminado”, diz.

O secretário acrescentou que não há recomendação de vacinação em massa no Estado porque a doença não foi confirmada. E reafirma que os casos que estão em análise são silvestres, ou seja, não há transmissão no meio urbano.

“As áreas de risco são rurais de Minas Gerais, quem vai para Belo Horizonte ou qualquer outra cidade não precisa ter a preocupação de ser vacinado. O problema de Minas Gerais também é silvestre”, afirma Oliveira.

Encontro

A informação foi passada após o secretário se reunir, ontem, com representantes de 52 cidades do Estado que não estão na lista dos municípios onde a população será toda vacinada.

Ele garantiu que as 150 mil vacinas que chegam ao Espírito Santo até a próxima semana servirão para reabastecer todo o Estado. No entanto, o objetivo é que seja aplicada para quem viaja para as áreas de risco.

Outras 350 mil doses que chegaram nesta semana ao Estado já estão disponibilizadas nas regionais para os 26 municípios que irão vacinar toda a população. A forma como a vacinação vai acontecer vai depender da avaliação de cada município.

Barreira

Também foi discutido no encontro dos prefeitos com a Secretaria de Saúde uma nova técnica para combater o mosquito Aedes aegypti e ocorreu um debate sobre o combate a febre amarela. A nova técnica será divulgada em uma coletiva de imprensa no próximo dia 25.

O Espírito Santo vai criar uma barreira de vacinação nos municípios que fazem divisa com Minas Gerais, que confirmou ontem a morte de 23 pessoas por febre amarela. A estratégia é de precaução.

Entre os presentes na reunião estava o secretário de Saúde de Marechal Floriano, Paulo Lovatti. Ele afirma que na cidade está tendo uma procura grande de vacina, mas acredita que a população não deve se preocupar.

“Não tem nenhum caso confirmado, mas se der positivo para o macaco encontrado morto, vai ser disponível para toda a população a vacina para fazer o bloqueio da região.”

Prazo para resultado de exame cai para 5 dias

O resultado para o exame realizado para comprovar se a pessoa está com febre amarela sairá em cinco dias. Antes, a resposta estava sendo estimada em 20 dias.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, o Ministério da Saúde montou um esquema para que os resultados voltem para o Estado em cinco dias. As análises feitas em pessoas estão sendo encaminhadas para Fiocruz, no Rio de Janeiro.

Já as análises realizadas em macacos está sendo feita no Estado do Pará e em São Paulo.

Resultado

Apesar de ter dado inicialmente o prazo de 20 dias para divulgar o resultado e o primeiro exame ter sido enviado no final da última semana, o secretário não informou quando saíra o resultado de nenhum dos oito casos suspeitos.

“Também estou atrás da resposta, já liguei três vezes para o Ministério da Saúde, estou pressionando, mas ainda não tem”, afirma o secretário.

Fonte: Gazeta Online

Foto: Divulgação

Sobre jponline

Veja Também

roubo_energia_revendedora_03_08_2017-5224125

Polícia flagra ‘gato’ de energia em loja de carros de luxo em Vitória

Segundo a EDP Espírito Santo, equipe constatou fraude no medidor de energia elétrica. Responsável foi ...